Como escrever em linguagem clara

Não há livros publicados em português com orientações para uso de linguagem clara.

O Projeto Com Clareza vai lançar um ebook no primeiro semestre de 2018 com dicas e exercícios.

Até lá, recomendamos o guia Orientações para Adoção de Linguagem Clara que foi editado pelo governo do estado de São Paulo em 2016, para uso interno. A publicação tem um capítulo com dicas de redação.

Outra fonte de referência é a monografia de especialização de Heloisa Fischer, fundadora do Com Clareza.

, Heloisa reproduz uma síntese das orientações do livro Oxford Guide to Plain English (Oxford University Press, 2013), de Martin Cutts, uma das principais obras de referência na literatura internacional sobre linguagem clara.

Martin Cutts foi cofundador da Plain English Campaign (Campanha pelo Inglês Simples), uma figura central do movimento mundial pela linguagem clara.

Seu livro traz 25 diretrizes de escrita que ocupam 278 páginas. As pesquisadoras Lynda Harris, Susan Kleimann e Christine Mowat fizeram um esforço de síntese para resumir as principais diretrizes de Cutts em doze tópicos:

Estilo e gramática
1. Escreva frases com extensão média de 15 a 20 palavras.
2. Use palavras que o leitor provavelmente entenderá.
3. Use apenas o número necessário de palavras.
4. Dê preferência à voz ativa, a menos que tenha uma boa razão para usar a voz passiva.
5. Use verbos claros e vívidos para expressar ações.
6. Divida o texto em tópicos.
7. Apresente seu assunto de modo claro e categórico sempre que possível.
8. Reduza ao mínimo as referências cruzadas.
9. Evite linguagem com marcadores de gênero.
10. Seja preciso na pontuação.

Organização
11. Organize seu material de modo a ajudar o leitor a captar rapidamente as informações importantes e a se orientar com facilidade pelo texto.

Diagramação
12. Dê às suas palavras uma apresentação visual clara e acessível.